Fale Conosco Por Whats APP: 11 94205-4008
Telefone: 11 3090-3984

E-mail: contato@cuidadosemcasa.com
Atendimento Domiciliar para São Paulo e Grande SP.

Os 12 problemas mais frequentes no manuseio diário das sondas de gastrostomia e o que fazer!

1. A sonda não funciona (a dieta não progride).

Uma das complicações mais comuns das sondas de gastrostomia sem dúvida é a obstrução da sonda, geralmente por alimentos e comprimidos. O aspecto mais importante nesta situação é a prevenção, que se dá através de lavagem da sonda com água antes e depois da infusão de dieta e medicação. Esta lavagem é feita com água instilada através de seringa. Uma vez detectada a obstrução pode-se tentar injeções de água na tentativa de desobstrução. O insucesso leva a necessidade de avaliação médica com possibilidade de troca da sonda.

2. A sonda parece velha.

O aspecto estético da sonda não está relacionado a sua funcionalidade. Isto quer dizer que muitas vezes sondas que aparentam estar velhas funcionam corretamente e sondas de aspecto novo estão com defeitos. É claro que, com o passar do tempo, as sondas se desgastam, ficando mais quebradiças, com presença de resíduos de dieta no canal interno e estes fatores levam a quadros de obstrução e outros problemas que indicarão a troca da sonda. Mas é importante que se tenha em mente que não é o fato de a sonda estar “feia” ou aparentar estar “velha” que indicará a sua troca, mas sim se ela está funcionando corretamente ou não.

3. Está vazando dieta na sonda.

O vazamento de dieta na sonda pode indicar algum furo na própria sonda ou nos dispositivos de conexão da sonda pelos quais se injeta dieta e medicações. Havendo vazamento há necessidade de avaliação da sonda pela equipe multidisciplinar.

4. Está vazando dieta no orifício da gastrostomia.

O vazamento de dieta ou secreção pelo orifício da gastrostomia indica, na grande maioria das vezes, que a sonda está “frouxa”, isto é, o anteparo externo está em numeração maior do que deveria estar. Neste caso há necessidade de “apertar” a sonda, ajustando o anteparo externo em numeração menor. A distância correta (numeração) é aquela em que o anteparo fica justo a pele, porém consegue-se fazer rotação completa do mesmo. Sugere que se faça uma rotação completa (360 graus) com o anteparo uma vez ao dia todos os dias, evitando-se assim que o anteparo fique muito justo.

5. Existe vermelhidão (hiperemia) na pele ao redor do orifício.

A presença de hiperemia na pele ao redor da gastrostomia pode indicar contato com suco gástrico (a sonda pode estar “frouxa”), dermatite de contato (anteparo externo) ou até mesmo algum processo infeccioso. Sugere-se lavar sempre apenas com água e sabão, não passando outros produtos na região e manter ajuste correto do anteparo externo. A persistência da hiperemia indica necessidade de avaliação da equipe multidisciplinar. [cta id='2090']

6. Está saindo secreção amarelada-esverdeada pelo orifício ou aparecendo secreção na pele ao redor do orifício.

A presença de secreção no orifício ou na pele adjacente pode indicar a presença de processo infeccioso e deve ser prontamente avaliada por equipe multidisciplinar, pois pode haver necessidade de retirada ou troca da sonda e possibilidade de outras complicações tais como abscessos da parede abdominal.

7. A sonda está boa, mas há última troca já faz tempo.

A sonda deve ser trocada sempre que houver algum problema que indique a sua troca em qualquer tempo. Caso a sonda esteja funcionando de modo adequado, o tempo de troca é o recomendado pelo fabricante, geralmente não ultrapassando 12 meses.

8. Foi aplicada dieta no balão, o que fazer?

A aplicação de dieta no dispositivo que infla o balão indica a necessidade da troca da sonda, já que o balão deve ser preenchido com água destilada.

9. O balão furou, o que fazer?

Se o balão furar deve-se manter a sonda em sua posição e procurar equipe multidisciplinar o mais rápido possível para a troca da sonda. A retirada da sonda sem troca imediata pode levar ao fechamento do orifício, portanto a sonda deve ser mantida em sua posição.

10. Dor abdominal, vômitos ou febre.

A presença de dor abdominal, vômitos ou febre requer avaliação médica, ainda que a sonda esteja funcionando corretamente.

11. Há sangramento no orifício da gastrostomia.

O sangramento no orifício da gastrostomia deve ser avaliado pela equipe multidisciplinar, pois pode indicar o rompimento de algum vaso que necessite de alguma intervenção. Até esta avaliação mantém-se o anteparo externo bem justo a pele, fazendo-se assim a compressão mecânica do sangramento.

12. O paciente arrancou a sonda, o que fazer?

Se a sonda saiu por qualquer motivo, deve-se recolocá-la através do orifício e mantê-la nesta posição até procurar a equipe multidisciplinar o mais rápido possível para a colocação ou troca da sonda. A retirada da sonda sem troca imediata pode levar ao fechamento do orifício, portanto a sonda deve ser reintroduzida, evitando-se assim, fechamento do óstio e necessidade de realização de nova gastrostomia.

Fonte: Google_Pesquisas

By: Time Cuidados em Casa

Voltar para o Blog      Navegar pelo Site